© Vasco Neves

ERMIDAS PANORÂMICAS

E PAISAGENS A PERDER DE VISTA

Um dos valores de referência no concelho de Serpa é a sua paisagem. Alguns locais são especialmente interessantes para a sua observação e interpretação, como os cumes e elevações onde se localizam as ermidas de Nª Sr.ª de Guadalupe e de Nª Sr.ª das Pazes. Venha conhecê-las e desfrutar do ambiente tranquilo que estas ermidas e as suas envolventes paisagísticas transmitem.

ERMIDA DE Nª SR.ª DE GUADALUPE

 

Esta ermida, dedicada à padroeira do concelho, situa-se a 1km da cidade, no alto da serra de São Gens, um cume localmente conhecido por «altinho». Para um acesso mais direto deve seguir pela Estrada Nacional 260 (sentido Espanha), e virar no cruzamento (à direita), em direção à Pousada que igualmente se localiza nessa elevação. 


O culto a Nª Sr.ª de Guadalupe é muito antigo na região e aí terá sido introduzido, no séc. VI, por um arcebispo de Sevilha. Em Serpa, a devoção popular iniciou-se no séc. XIV.


A ermida foi edificada no séc. XVI, e destaca-se pela simplicidade e harmonia das suas formas, pela alvura das suas paredes caiadas e pela cobertura em telha de canudo e tijoleira. No interior, tem uma pia batismal de boa feição e um singelo altar em talha dourada.

© Vasco Neves

A PAISAGEM QUE DESTE LOCAL SE OBSERVA É SIMPLESMENTE SOBERBA

Em dias límpidos, sem nebulosidade, é possível identificar os concelhos vizinhos tal é a sua amplitude. A vista imensa e a presença da capela conferem ao local um ambiente tranquilo e sereno que o tornam ideal para fechar um dia de passeio. No parque de merendas que aí se localiza, pode petiscar e desfrutar do magistral pôr-do-sol que se esvai sob a vasta planície.
 

No Domingo de Páscoa realiza-se, a partir deste seu domicílio, a procissão em honra de Nossa Senhora de Guadalupe, quando o andor com esta imagem mariana desce até à Igreja de São Salvador, localizada no centro da cidade. Este é um dos momentos especiais destas festividades, a par com o Cortejo Histórico -Etnográfico, no qual centenas de serpenses se vestem a rigor, simulando hábitos e usos antigos, exibindo aos espetadores deste desfile o que de melhor a tradição deixou ao seu concelho.

© Vasco Neves

ERMIDA DE Nª SR.ª DAS PAZES

 

Falar de ermidas panorâmicas e não referir a Ermida de Nª Sr.ª das Pazes seria impensável. Localiza-se na freguesia de Vila Verde de Ficalho; o melhor acesso para a encontrar será sair do largo da vila onde se situa a Junta de Freguesia, entrando pela Avenida das Forças Armadas, mas virando logo depois na Travessa do Barranco (à direita). Seguindo sempre pela via alcatroada, que desce para sul, e após três quilómetros, estará junto à pequena igreja.


A pequena e encantadora ermida, um misto de feição vernacular com elementos manuelinos e barrocos, marca um dos pontos mais altaneiros deste entorno e confere ao local um cariz sagrado. As cercanias, aqui, são simplesmente deslumbrantes, uma planície suavemente ondulada, com a pequena e singela capela branca rodeada por frondosas azinheiras, naquela que é talvez a maior mancha de montado de azinho do concelho. 

© Manuela Sousa

Este sítio tem uma atmosfera especial que faz jus ao nome da ermida. A sua construção tem sido alvo de diversas interpretações. Para uns, está ligada à “Lenda da Nossa Senhora das Pazes”: no tempo da guerra de Espanha com Portugal (século XVII), houve uma grande batalha em Ficalho durante a qual apareceu uma Santa no cimo de uma azinheira e que fez terminar a guerra; e por isso, no local, terá sido construída a ermida de Nossa Senhora das Pazes, que ficou padroeira da povoação. Para outros, terá sido edificada antes disso, decorria o reinado de D. João III (século XVI), como símbolo de unidade entre os ficalheiros e os naturais de Rosal de la Frontera.

No século XIX, a Ordem de Avis cedeu a posse destes terrenos ao Marquês de Ficalho, donatário desta parcela extrema do nosso País. Mas o acesso ao pequeno templo permaneceu aberto a todos que o procurem. Claro que o momento de maior destaque, em cada ano, é o 1.º fim de semana após a Páscoa, data da festa e romaria. No terreiro junto à ermida juntam-se as populações de ambos os lados da fronteira para conviver e reforçar os laços de vizinhança, na comunhão da procissão, das merendas e da música e danças.

É o local ideal para um percurso pedestre ou de bicicleta, saindo da vila até à ermida. Chegado lá, pode aproveitar para fazer um agradável piquenique, acolhendo-se à sombra de uma dessas frondosas azinheiras. 

Na área de lazer anexa ao templo, existem mesas e bancos que pode utilizar para dispor variadas iguarias. Em Vila Verde de Ficalho não faltarão os bons produtos locais para a compor.

1/2

(Clique sobre as fotos para visualizar os créditos)

logo_município-01.png

Copyright © 2019, C. M. Serpa - todos os direitos reservados.   Design Cores ao Cubo

Idealização, textos e fotografias (salvo exceções indicadas), e coordenação