© Manuela Sousa

À DESCOBERTA

DOS MODOS DE VIDA RURAIS

O concelho de Serpa tem um cunho marcadamente rural e quem chega depressa o percebe, em virtude da paisagem que se pode observar: vinhas, olivais, searas e montado, dominam a paisagem e expressam a vida agrícola deste território.

foto-6-5-1-a.jpg

O MONTADO É A PAISAGEM MAIS EMBLEMÁTICA DO ALENTEJO

e, no concelho de Serpa, está ainda bem representada, sobretudo na área circundante a Vale Mortos e na envolvente a Vila Nova de São Bento e Vila Verde de Ficalho. 


A sua origem remonta ao antigo bosque mediterrânico, coberto vegetal que foi sendo apropriado e manuseado para se obterem terras agrícolas para semear cereais e instalar pastagens, aproveitando-se dele ainda a madeira e o carvão, a bolota e a cortiça.


Esse aperfeiçoamento foi sendo executado de forma a melhorar e rentabilizar os escassos recursos numa região caraterizada por um clima mediterrânico e solos pobres. Tradicionalmente predominava o montado de azinheira, aproveitado especialmente para culturas arvenses, pastagens e pousios, criação de gado bovino, ovino, suíno e caprino, caça, recolha de cogumelos e de ervas aromáticas, e instalação de vastas malhadas de mel.

© Manuela Sousa

É uma paisagem milenar que, para além de propiciar o desenvolvimento destas atividades em modo extensivo, com reduzidos impactos ambientais num território onde a sustentabilidade é um valor maior, se configura como um dos mais ricos ecossistemas do mundo. Fornece abrigo e alimento a uma enorme diversidade de espécies de fauna, muitas delas protegidas, sendo ele próprio alvo de medidas de salvaguarda ao abrigo da Diretiva Habitats. 


O Montado suporta também serviços ambientais muito importantes, tais como a regulação do ciclo da água, a fixação de carbono, a prevenção da erosão, bem como atividades de recreio e lazer.

É uma paisagem única que só tem semelhança na Dehesa do sul de Espanha. Permite experiências diversificadas, que incluem a contemplação dos vastos horizontes mas, também, a interpretação da sua vocação produtiva ou natural. Tem vindo a ganhar relevância no acolhimento de percursos pedestres, desportos de ar livre e observação de aves. 


A sua multifuncionalidade está igualmente bem expressa no património imaterial da região: na gastronomia, nas tradições de cunho etnográfico, em associação a este mundo rural, como cante, o imaginário e as lendas, aspetos que se inspiram e têm fortes raízes no Montado.

Para contactar com a sua extraordinária riqueza aconselhamos a um percurso a pé até à Ermida de Nª Sra. das Pazes, situada numa pequena elevação a cerca de 2km de Vila Verde de Ficalho, uma pequena capela que está cercada por um imenso montado.

Ao longo do percurso irá seguramente deparar-se com diferentes espécies de avifauna que por ali buscam alimento e refúgio, razões adicionais que aumentam o seu interesse. 


O acesso ao Pulo do Lobo atravessa, também ele, uma considerável mancha de montado, mesclada com campos de cereais e pastagens, onde, com sorte, poderá ver a pastar algum dos muitos rebanhos de ovelhas que produzem o leite para o famoso queijo Serpa. 

O Montado Alentejano enfrenta, atualmente, ameaças eminentes, sobretudo as que indicam a substituição deste tipo de cultura e paisagem milenar por outras formas mais rentáveis - no curto prazo - de exploração agropecuária, pondo de parte as preocupações relacionadas com a sustentabilidade ambiental e o desenvolvimento local sustentado. Por essa razão, está em curso um processo encabeçado pela Entidade Regional de Turismo do Alentejo visando a sua classificação patrimonial, como paisagem protegida, pela UNESCO. 

1/2

© Eco Sapiens