© Shutterstock

A PRODUÇÃO DE AZEITE

TEM NO ALENTEJO RAÍZES ANTIGAS

As primeiras referências históricas datam do tempo de Cristo, tendo sido um dos azeites mais apreciados na capital do Império Romano. Atualmente o Alentejo produz mais de 70% do azeite nacional, sendo que Portugal detém uma das melhores produções do mundo. No concelho de Serpa é visivel a importância da cultura do olival, numa paisagem que é a expressão viva da coexistência do contemporanêo e do tradiconal. Venha conhecer o extraordinário mundo do azeite por terras de Serpa.

NOS ÚLTIMOS ANOS

o prazer do consumo do azeite está a renascer junto dos portugueses e o crescimento da mancha de olival por todo o País faz acreditar que um dos principais símbolos da identidade mediterrânica está efetivamente de volta.

 

O Azeite do Alentejo é o óleo produzido a partir de variedades tradicionais da região – maioritariamente Galega, Cordovil de Serpa, Verdeal ou Cobrançosa – no estado de maturação ideal para obtenção de azeites frutados e suaves, unicamente por processos mecânicos.

 

Tem um aroma frutado, pouco ou nada amargo, pouco ou nada picante, com notas dominantes de maçã, frutos secos, tomate, erva, ou folha. Estas são as características organoléticas mais marcantes deste azeite que tem um lugar de destaque na gastronomia tradicional e na dieta mediterrânica.

 

Os principais ingredientes dos pratos mais emblemáticos da comida alentejana são exatamente o azeite, as azeitonas, o pão alentejano e as ervas aromáticas, produzidos na região, e a base de pratos intensos e surpreendentes como as açordas, os gaspachos e as sopas.

© Estúdio Lemonnier

A PRODUÇÃO EM SERPA

Em Serpa, a produção de azeite tem origens remotas e a comprová-lo estão os vestígios de lagares muito antigos que existem na região.

 

Entre a tradição milenar e a recente forte expansão do olival intensivo, assim se encontra Serpa. Esta foi a cultura que maior crescimento registou com a chegada da água da barragem de Alqueva. Serpa tem algumas das mais importantes herdades produtivas do País com forte tradição na produção, identificando-se os modos de produção intensivo, produção e proteção integrada, biológica e biodinamica.

 

As freguesias de Pias, Vale de Vargo, Vila Verde de Ficalho, Brinches, S. Maria, Salvador e Vila Nova de S. Bento estão integradas na região demarcada Azeite Moura DOP, uma região que tem produtores granjeados nos últimos anos com distinções internacionais.

© Maria Moreira

Matéria-prima na produção do azeite, a azeitona é igualmente um dos produtos emblemáticos da gastronomia do concelho e da região. Alimento com longa tradição na dieta do povo alentejano, marca presença em todas as mesas, temperadas com sal e orégãos, comidas com pão, retalhadas e em conserva.

No comércio local poderá obter mais informações e adquirir estes produtos, podendo também provar os “comeres de azeite” e outros pratos e petiscos feitos com azeite nos restaurantes do concelho.

 

Aconselha-se igualmente uma visita à Feira do Azeite em Vale Vargo, que se realiza de dois em dois anos e, num futuro próximo, ao novo núcleo museológico dedicado ao azeite, que a Câmara Municipal está a instalar num antigo lagar de prensas hidráulicas situado em Vila Nova de S. Bento.

(Clique sobre as fotos para visualizar os créditos)

logo_município-01.png

Copyright © 2019, C. M. Serpa - todos os direitos reservados.   Design Cores ao Cubo

Idealização, textos e fotografias (salvo exceções indicadas), e coordenação