O VINHO ALENTEJANO,

UMA DAS GRANDES RIQUEZAS DA REGIÃO

O vinho alentejano é um dos valores maiores do Alentejo e tem na região uma história milenar. Não se sabe ao certo quando a cultura terá sido introduzida mas foi com a chegada dos romanos que ela se tornou parte da rotina das comunidades locais. O vinho, os tintos e brancos, as diferentes castas, com os seus particulares sabores e aromas, as vinhas, as herdades produtoras e as adegas, as rotas e visitas, são oportunidades para entrar neste maravilhoso mundo. Venha conhecê-lo.

VINHA, UMA CULTURA MILENAR NO ALENTEJO

A vinha tem no Alentejo uma presença milenar e ininterrupta e a comprová-lo estão os muitos indícios arqueológicos espalhados um pouco por toda a região. 


Não se sabe exatamente quando a cultura terá sido introduzida. Presume-se que os tartessos, uma civilização ibérica herdeira da cultura megalítica andaluza, terão sido os primeiros e principais propulsores da domesticação da vinha e posterior introdução do vinho na região. 


Os fenícios e os gregos terão continuado a exploração da cultura, mas é atribuída aos romanos a sua generalização. Algumas das suas práticas ainda subsistem hoje como o podão e as grandes talhas utilizadas para fermentação de mosto ou para armazenagem do vinho. A tecnologia e método de produção de vinho de talha e o seu milenar processo de vinificação representam uma herança cultural de grande singularidade, estando a decorrer o processo de inscrição do “Processo Tradicional de Produção de Vinho de Talha” no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial e a posterior candidatura a Património Cultural Imaterial da Humanidade.


Com a invasão muçulmana e islamização da Península Ibérica, e as restrições religiosas ao consumo - principalmente nos século XII e XIII -, terão forçado uma grande diminuição do cultivo, que em muitos territórios terá mesmo desaparecido, pelo que as vinhas só voltaram a destacar-se na paisagem com a fundação do reino lusitano (o vinho, curiosamente também por motivos religiosos, era essencial na liturgia cristã).

O VINHO ALENTEJANO HOJE

O Alentejo é uma das maiores regiões vitivinícolas de Portugal. Com um investimento considerável, nos últimos anos, neste setor, os vinhos maduros alentejanos têm vindo a estar, cada vez mais, entre os melhores do país e a conseguir reconhecimento internacional. 


As condições edafo-climáticas presentes permitiram a produção de castas autóctones que foram imprimindo um cunho regional ao vinho mas acolhem igualmente bem outras castas, cuja qualidade mostra a sua boa adaptação.

No Alentejo existem 8 sub-regiões DOC - Denominação de Origem Controlada mas as que têm maior presença são, nas castas brancas, a Roupeiro, Antão Vaz e Arinto  e, nas castas tintas, a Trincadeira, Aragonez, Castelão e Alicante Bouschet. Os vinhos produzidos no concelho de Serpa estão na região vitivinícola do Alentejo situado na sub-região de Moura

 

Mas a produção de vinho no Alentejo vai para além da DOC  e há muitos produtores que produzem excelente vinho regional com outras castas como Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon, Syrah ou Chardonnay.

Qualidade e diversidade são duas palavras que andam de mãos dadas com o vinho alentejano, seja ele mais jovem ou mais maduro.

AS VINHAS NA PAISAGEM

Mas o vinho pode também ser desfrutado doutras formas, nomeadamente através da sua paisagem. Os campos alentejanos são um incrível rendilhado de culturas onde a vinha está bem presente conjuntamente com montados, searas, olivais e pousios. Neste mosaico, as cores e texturas vão variando ao longo do ano, acompanhando o ritmo das culturas e os tons das estações.

 

Assim é também na vinha: durante a primavera surpreende-nos com os seus verdes intensos que ao longo do verão vão dando lugar aos amarelos, dourados e ocres culminando na época da colheita.

 

O concelho de Serpa reproduz de forma exemplar, este mosaico de culturas, onde a vinha tem igualmente lugar de destaque sobretudo parte mais oriental, na freguesia de Pias.

 

Também neste concelho, à semelhança do que aconteceu no Alentejo, o processo de aperfeiçoamento e de melhoria da produção vinícola começou nas últimas décadas do século XX., sendo a freguesia de Pias uma referência nesta mudança de paradigma, com um papel de relevo no contexto regional.

 

Atualmente o vinho produzido no concelho de Serpa está a ser comercializado em todos os continentes, sendo um embaixador deste território. As adegas do concelho estão equipas com tecnologia avançada, ligadas a projetos de investigação e de inovação e algumas já com o conceito da economia circular, sendo de referir também a produção de excelentes espumantes, aguardentes vínicas e rosés, incluindo o vinho de talha.

1/2

(Clique sobre as fotos para visualizar os créditos)

Algumas das empresas produtoras promovem visitas que levam os apreciadores a provar o vinho, a ouvir as histórias ligadas à produção e a conhecer as suas fases mais importantes, nomeadamente observar e participar nas vindimas.
 

 

PROVAR O VINHO POR SERPA

O vinho é o parceiro de excelência para a degustação de outros produtos que em Serpa têm um lugar maior como o Queijo Serpa DOP. Mas também enchidos e pão, entre outros tradicionais parceiros de mesa, têm neste concelho excelentes representantes. Venha prová-los.

© Estúdio Lemonnier

logo_município-01.png

Copyright © 2019, C. M. Serpa - todos os direitos reservados.   Design Cores ao Cubo

Idealização, textos e fotografias (salvo exceções indicadas), e coordenação